Greve Geral: SINTAJ participa de manifestação que levou 72 mil pessoas às ruas de Salvador

Foto: Niassa Jamena/Sintaj

Nesta sexta-feira (28) coordenadores e filiados do Sindicato dos Servidores dos Serviços Auxiliares do Poder Judiciário do Estado da Bahia (SINTAJ) participaram de uma das manifestações que ocorreram em Salvador como parte das ações da greve geral que paralisou todo o Brasil, em protesto contra as reformas trabalhista e previdenciária propostas pelo governo Michel Temer. O sindicato orientou que todos os trabalhadores da Justiça baiana paralisassem suas atividades por 24 horas. Os servidores das comarcas do interior compareceram às manifestações das suas respectivas cidades.

Foto: Niassa Jamena/Sintaj

Cerca de 72 mil pessoas, segundo estimativas da Polícia Militar, lotaram as ruas do centro de Salvador, em uma passeata que caminhou da Praça do Campo Grande até a Praça Castro Alves. O SINTAJ se juntou a outros sindicatos, a centrais sindicais, movimentos sociais, estudantes e trabalhadores e exigiu o fim do desmonte da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e da previdência, respectivamente representados pela Reforma Trabalhista – já aprovada na Câmara dos Deputados – e pela previdenciária, que tem votação prevista para o dia 8 de maio na mesma Casa.

Foto: Niassa Jamena/Sintaj

Conduzidas por dois carros de som, as milhares de pessoas que compareceram ao ato se juntaram a todos os outros trabalhadores brasileiros, nesta que já está sendo considerada pelas centrais sindicais a maior greve geral da história do país. Lideranças de inúmeras categorias discursaram, bem como estudantes. Todos deixando de lado questões coorporativas e incentivando a luta em prol de todos. A grande adesão à paralisação e as manifestações ocorreram em inúmeros municípios em todo o Brasil.

Jair discursou durante a manifestação Foto: Niassa Jamena/Sintaj

Representando o SINTAJ, o coordenador geral da entidade, Antonio Jair, discursou para a multidão. “O dia 28 de abril de 2017 vai ficar na história. Mas nós não vamos parar por aqui. Vamos continuar até entregarmos o Brasil a quem é de direito. O povo brasileiro”, incentivou o líder.

Cidade deserta

Nesta sexta Salvador amanheceu sem ônibus devido à adesão dos rodoviários ao movimento e pouquíssimos pontos comerciais abriram. A cidade ficou deserta durante todo o dia, já que grande parte dos trabalhadores não compareceu aos seus postos de trabalho. Na Bahia, além dos rodoviários e dos servidores do Judiciário estadual e federal, também participaram da greve bancários, professores – rede pública e privada – profissionais da saúde, petroleiros, policiais civis, trabalhadores da construção civil, técnicos das universidade federais, servidores do estado, dentre outros.

Na cidade ainda ocorreram outras diversas manifestações, as duas maiores ocorreram em frente ao Shopping da Bahia, pela manhã, e no bairro do Rio Vermelho, à noite

sindicato FORTE, servidor RESPEITADO!

 

Deixe uma resposta