Notícias

Diante dos últimos acontecimentos vivenciados pelos trabalhadores do judiciário estadual, e demais servidores públicos, a Federação Nacional dos Servidores do Judiciário nos Estados (Fenajud) vem a público reafirmar o compromisso com a categoria e confirma que estão mantidas as lutas contra as “reformas” da Previdência, Trabalhista e aprovação da Terceirização.

Mesmo com o anúncio do governo federal, feito na última terça (21), de que pretende retirar servidores estaduais da reforma da Previdência, a Fenajud mantém a decisão anterior e posiciona-se contrária à PEC 287/16. De acordo com o Executivo, a reforma das previdências estaduais ficará a cargo dos governos dos estados.

Por meio de sua diretoria, a Entidade, confirma que serão mantidos os atos e mobilizações contra o PL 6787 – Reforma Trabalhista, que visa a precarização de diversos direitos previstos na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), como férias, jornada de trabalho, banco de horas e muito mais.

A Federação repudia ainda a votação na noite desta quarta-feira (23) e aprovação do PL 4302, que permite a terceirização de toda e qualquer atividade das empresas. A diretoria não reconhece qualquer legitimidade nessa votação, feita sem debates com a sociedade.

Por fim, a Fenajud reafirma apoio à CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Previdência. O requerimento foi entregue na última terça-feira (21), no Senado Federal, pela Frente Parlamentar Mista em Defesa da Previdência Social – composta por parlamentares e mais de 80 entidades sindicais. O documento consta com assinaturas de 61 senadores até o momento.

Imprensa: Fenajud

Comentários

Posts Relacionados