Notícias

 

Obra realizada pela prefeitura em frente ao Fórum do Imbuí Foto: Niassa Jamena/Sintaj

O diretor de engenharia e arquitetura do TJ-BA (Tribunal de Justiça da Bahia), Daniel Argollo, afirmou, nesta quinta-feira (9), que não há nenhum problema estrutural no prédio do Fórum Regional do Imbuí. “Não há motivo algum para pânico. O prédio está seguro”, afirmou.

Desde a última segunda-feira (6) os trabalhadores do local veem sofrendo com tremores na estrutura do prédio e temem a existência de alguma falha na fundação da edificação. Essa hipótese é descartada por Argollo.

Ele afirma que, assim como aconteceu durante as obras do metrô, os tremores foram causados pelo rolo de compactação vibratória, equipamento utilizado na obra da prefeitura de Salvador, que está construindo um estacionamento em frente ao Fórum. “O rolo passa no solo e vibra. Ele é feito para isso. Essa vibração é feita para acomodar o solo. “O prédio vibrar junto é sinal de saúde da estrutura e não de prejuízo. Essa estrutura é feita para trabalhar. Qualquer estrutura de concreto vibra”, explica.

Obra realizada pela prefeitura em frente ao Fórum do Imbuí Foto: Niassa Jamena/Sintaj

O diretor afirmou que o encarregado da obra municipal confirmou que o equipamento de compactação de fato foi utilizado e se comprometeu a não realizar mais procedimentos com o rolo durante o horário comercial.

Rachaduras

Ainda segundo o diretor de engenharia, as rachaduras presentes no chão do Fórum já existiam quando o prédio foi entregue e não decorrem de problemas estruturais. “Esse é um piso de concreto de alta resistência. Quando ele não é bem curado, o que não tem nada a ver com a estrutura, ele retrai. A qualidade visual do piso não é boa, mas não há problema algum. ”

Rachaduras no Fórum do Imbuí Foto: Niassa Jamena/Sintaj

Um laudo elaborado por um engenheiro estruturalista da empresa Triunfo e emitido em julho deste ano, ao qual o SINTAJ teve acesso, atesta que, embora existam fissuras, o imóvel não apresenta riscos ou danos estruturais.

SINTAJ

Apesar das informações prestadas por Argollo e da existência do laudo técnico, o SINTAJ (Sindicato dos Servidores dos Serviços Auxiliares do Poder Judiciário do Estado da Bahia) examinará a possibilidade de acionar órgãos competentes para realizar uma inspeção no local, com o objetivo de sanar todas as dúvidas.

Ainda nesta quinta o coordenador de convênios do sindicato, Alberto Miranda, também conversou com o coordenador dos Juizados Especiais, juiz Paulo Chenaud e pediu que os servidores sejam avisados todas as vezes que o TJ-BA souber que obras serão feitas nas imediações do Fórum para evitar que os trabalhadores entrem em pânico devido aos abalos.

sindicato FORTE, servidor RESPEITADO!

Comentários

Posts Relacionados