Notícias

Foto: Divulgação

Após dois anos negando o reajuste linear, a mais nova tentativa de economizar às custas do trabalhador público promovida pelo governador Rui Costa vem através de uma campanha que objetiva convencer os servidores a aderir ao PREVBAHIA, plano de previdência complementar criado por Costa em 5 de janeiro de 2015, através de lei estadual.

No dia 30 de janeiro o governo do estado divulgou um texto e um vídeo no site Portal do Servidor e no canal do portal no Youtube, respectivamente, exaltando as “vantagens” de o servidor aderir ao plano complementar.

Entretanto, de acordo com a Lei 13.222, de janeiro de 2015, que cria o programa, e com a regulamentação da mesma, publicada no dia 29 de julho de 2016, fica claro que o servidor pode não se aposentar com o benefício integral se aderir ao PREVBAHIA. De acordo com as regras do fundo, o trabalhador só pode receber até R$ 5.578, o teto estabelecido pelo INSS. Ou seja, quem tiver direito a se aposentar ganhando mais do que esse valor perderá o excedente.

O PREVBAHIA já é obrigatório para os trabalhadores que foram admitidos no serviço público depois do dia 29 de julho de 2016 e opcional para os que entraram antes. E são esses servidores que Rui Costa tem a intenção de convencer a aderir ao plano.

No vídeo, assim como no texto, são usados termos como “poupança”, “amplia o benefício da aposentadoria” para fazer o servidor crer que aderir ao fundo será benéfico. Na filmagem, o diretor presidente do PREVBAHIA, Jeremias Xavier, chega a mencionar a crise que afeta outros estados, alegando uma suposta prevenção, de forma a criar uma ideia de que a previdência baiana pode entrar em colapso, causando apreensão entre os servidores.

Após divulgar a economia de R$ 1 bilhão mesmo sem pagar o reajuste linear, Rui Costa agora quer sanear as contas da previdência cortando da aposentadoria do trabalhador.

Veja aqui o texto
Veja aqui o guia do PREVBAHIA
Veja abaixo o vídeo:

sindicato FORTE, servidor RESPEITADO!

Comentários

Posts Relacionados