Notícias

Na manhã desta quinta-feira (6) o Sindicato dos Servidores dos Serviços Auxiliares do Poder Judiciário do Estado da Bahia (SINTAJ) se juntou a várias outras entidades representativas dos servidores estaduais baianos na luta pelo reajuste linear. Ao lado de trabalhadores, estudantes, professores e líderes de outros sindicatos, coordenadores e filiados realizaram uma passeata do Bahia Café Hall, na avenida Paralela, até a Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), exigindo que o governador Rui Costa pagasse a reposição inflacionária de 2016 e 2017.

O ato foi puxado por um grande carro de som, onde líderes das instituições presentes discursavam e entoavam gritos de guerra. A maior parte dos sindicatos e servidores levaram suas bandeiras, faixas e cartazes de protesto. A ação foi organizada pela Federação dos Trabalhadores Públicos do Estado da Bahia (FETRAB).

Trabalhadores públicos em passeata Foto: Niassa Jamena/Sintaj

A manifestação pacífica subiu o viaduto do CAB e seguiu por uma das pistas da Paralela, onde em vários momentos cidadãos apoiavam o movimento dos trabalhadores através de buzinaços.

“É muito importante nós estarmos aqui mostrando que não estamos satisfeitos com a falta de reajuste. Há dois anos estamos sem a reposição e isso é insuportável”, desabafou Suzana de Matos, lotada no Fórum Regional do Imbuí.

Saindo da concentração no Bahia Café Hall Foto: Niassa Jamena/Sintaj

Depois da passeata os servidores públicos se reuniram em frente à Governadoria exigindo falar com o governador Rui Costa. No entanto, o chefe do Executivo não estava na Casa e designou uma secretária da Secretaria de Relações Institucionais (SERIN) para receber os trabalhadores. Os manifestantes não aceitaram a proposta, já que as questões relativas ao linear só podem ser resolvidas pelo governador.

Na chegada da manifestação ao prédio da Governadoria o coordenador intersindical do SINTAJ, Dionizio Sousa, fez um discurso para os servidores. “O governo que anuncia um superávit, que tem dinheiro para fazer obra não tem dinheiro para respeitar o direito dos trabalhadores do estado da Bahia. O SINTAJ apoia a causa de todos os servidores públicos baianos”, reafirmou. A reposição inflacionária do trabalhador público é um direito garantido por lei e vem sendo negada por Rui Costa há dois anos seguidos.

Dionizio discursando para os trabalhadores Foto: Niassa Jamena/Sintaj

Em protesto pela reposição e outras demandas mais específicas da categoria, os trabalhadores do Judiciário baiano paralisaram suas atividades nestas quarta (5) e quinta (6). Também estiveram presentes no protesto o Sindsefaz, o Sindsaúde, o Sinpojud, a Ateba, a Ascra, o Sindipoc e o Sindimed.

sindicato FORTE, servidor RESPEITADO!

Comentários

Posts Relacionados